Lição da Borboleta

No campo verdejante, as flores baloiçavam ao vento, espalhando uma mistura de perfumes suaves.
Preso a um ramo, uma pequena abertura apareceu num casulo.
Caminhando sobre a folhagem, um homem sentou-se a descansar e por vários momentos, parou a observar o casulo.
No seu interior, uma borboleta esforçava-se para que o seu corpo passasse através daquele minúsculo buraco. Durante algum tempo pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Imóvel, parecia igualmente que tinha ído o mais longe que as suas forças permitiam.
Então o homem decidiu ajudar a borboleta, pegou numa tesoura e cortou o que restava do casulo.
A borboleta saiu facilmente daquele aperto mas o seu corpo frágil estava ainda murcho, pequeno e com as asas amassadas. O homem continuou atento a observar a reacção da borboleta, esperando que a qualquer momento as asas dela se abrissem ao sol e se esticassem, sendo capazes de suportar o corpo no seu primeiro voo.

Nada aconteceu...

Na realidade a borboleta passou o tempo da sua vida rastejando com o corpo murcho e as asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar...

O que o homem na sua gentileza e vontade de ajudar não compreendeu, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo para que o fluído do corpo do insecto, fosse para as suas asas de forma que ela estivesse pronta a voar, uma vez liberta do casulo.

Algumas vezes o esforço é justamento o que precisamos na nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem qualquer obstáculo, Ele nos deixaria aleijados.

Não seríamos tão fortes a enfrentar a adversidade... e nunca conseguiríamos VOAR...


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Entardecer dourado

.


"Reflectes o teu brilho mágico no entardecer dourado e em cada vaga, remeto o encanto do meu olhar enfeitiçado"

Lena Ferraz

domingo, 28 de novembro de 2010

Outono chuvoso



Neste Outono chuvoso, os ouriços agarrados aos troncos do seu castanheiro, baloiçam frágeis à forte ventania, não conseguindo suster as castanhas que caem desprotegidas sobre um manto verde e gelado... e aqui as borboletas não pousam, com receio de picarem suas finíssimas asas.


*Registado do interior de um autocarro em movimento, num dos meus voos à chuva.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Percorrendo as pétalas



"A noite abre as flores em silêncio e deixa que o dia receba os agradecimentos"

Tagore

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Bailarina dos meus sonhos



"Bailas no meu peito em voos de sonhos e fantasias,
Confidente sincera de uma vida sofrida,
Disfarçada pelo gargalhar de sorrisos brilhantes
No saltitar frenético de uma luta difícil
Em que a esperança é a minha enorme força de vencer"

Lena Ferraz

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

domingo, 21 de novembro de 2010

De vela rasgada




"Sou barco vadio de vela rasgada, venho da terra dos sonhos,
trazer-te o cheiro quente do chão vermelho e
as saudades da gente que amas..."

Lena Ferraz

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Luar Secreto




LUAR SECRETO

És a Lua que vagueia
Na noite escura
Em brincadeiras marotas
Atrás das nuvens espessas
És a luz brilhante
Que se reflecte na vidraça
Para de seguida entrar discreta
Na intimidade do meu quarto
De uma forma delicada
Envolves o meu corpo
Tocando-me sem te sentir
Em movimentos dóceis
Embrulhados pela magia
De um madrugar inebriante
Abraças-me... esmagada
Por sonhos profundos
E o teu luar permanece
Iluminando o desalinhar
Dos meus lençóis enrugados
Após uma noite de paixão
Aos poucos, o tempo vai passando
Afastas-te deslizando silenciosa
Tal como chegaste
Deixando-me sozinha
Ligada pelo fio dourado
Que se desvanece no céu
Cada vez mais azul
Raiado pelo avermelhar
De um suave amanhecer
Acordo à tua procura
E confundo-me com a luz
Que já não é a tua
Porque apenas vejo o Sol
A espreitar-me atrevido
Entre o baloiçar do cortinado
Enquanto tu te escondes
Para além do horizonte
No segredo de um adeus
Que espero seja breve
Para que voltes a iluminar-me
Com a candura do teu olhar
Brilhando na próxima noite
De um luar secreto

Lena Ferraz

domingo, 7 de novembro de 2010

Uma luz no meu caminho




"Deus não prometeu dias sem dor, riso sem tristeza, sol sem chuva, porém, ELE prometeu, força para cada dia, consolo para as lágrimas e luz para o caminho"

No azul da emoção




"Há momentos na vida em que nos devería-mos calar e deixar que o silêncio falasse ao coração, pois há sentimentos que a linguagem não expressa e há emoções que as palavras não sabem transmitir..."